exposição Archive

Exposição na Uefs comemora os 40 anos do Observatório Antares

Com a exposição ‘Meteoritos: Relíquias do Sistema Solar’, o Observatório Astronômico Antares comemora 40 anos de implantação, completados nesta segunda-feira (26). A mostra, realizada no hall do prédio da Reitoria da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), fica aberta ao público até a próxima sexta-feira (30), com exibição de filmes e apresentação de meteoritos, inclusive do Acervo Wilton Pinto, do Museu Geológico da Bahia, além de réplicas como a do meteorito de Bendengó.

A exposição também comemora dois anos do Museu Antares de Ciência e Tecnologia, recém-completados em 24 de setembro. O Antares, conforme explica a bióloga Carolina Oliveira, não está restrito ao estudo de corpos celestes. É aberto também a temas como a formação da vida na Terra e a possibilidade da existência dela em outros planetas.

Neste sentido, o Antares realiza trabalhos e recebe estudantes para diversas atividades, como visitação ao Parque dos Dinossauros, que expõe réplicas de animais pré-históricos. No Parque Espacial é possível ver uma réplica de 11 metros do foguete Saturno 5, que realizou a viagem à Lua na Missão Apollo 11, em 20 de julho de 1969.

A réplica possui um exaustor de explosão de fumaça para simular a partida do grande foguete de 110 metros, que fez a viagem há 40 anos para a Lua e uma caixa de som interna que produz o efeito sonoro da contagem regressiva e da partida do foguete.

Dois “gyrotecs” (ou “loconautas”) também fazem parte do Parque Espacial. O aparelho é utilizado na rotina de treinamento dos astronautas, pois simula o efeito da ausência de gravidade que seria encontrada no espaço.

No local é possível visitar, ainda, a réplica do observatório pré-histórico Stonehenge, existente há 5 mil anos e localizado na Inglaterra, além de um espaço que simula a caminhada na Lua, um planetário no qual são realizadas projeções sobre a formação das estrelas, um módulo lunar e trajes espaciais de astronauta.

Exposição na Biblioteca Pública do Estado retrata universo feminino

‘Sentimentos Transitórios’ é a mais nova exposição em cartaz, até o dia 31 deste mês, na Biblioteca Pública do Estado da Bahia (Barris). A mostra de autoria da graduanda em Artes Plásticas pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), Carla Moreira, apresenta 10 pinturas, que propõem um olhar reflexivo para a sensibilidade feminina em diálogo com seu espaço e tempo.

O público poderá visitar gratuitamente a exposição no foyer da Biblioteca, no horário de funcionamento da unidade – de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 21h, sábado, das 8h30 às 12h, e domingo, das 10 às 16h.

Quem for ao local também pode circular por todo o prédio para visitar outras exposições, em cartaz até o final do mesmo mês. A Subgerência de Periódicos, dando continuidade à comemoração pelos 200 anos da Biblioteca, expõe sua coleção de periódicos raros e valiosos, com revistas e jornais datados dos séculos 19 e 20, fonte documental de pluralidade de saberes.

A Subgerência de Obras Raras apresenta a Coleção de Vital Cardoso do Rego, médico diplomado pela ‘Faculdade de Medicina e Pharmacia da Bahia’, que legou aos baianos, além do conhecimento disseminado em vida, uma coleção de livros que tratam dos mais diversos temas, parte obtida na compra da coleção de Alfredo de Carvalho.

Adquirida pelo Governo da Bahia, em meados do século 20, a coleção dá continuidade à divulgação das coleções do acervo de Obras Raras da Biblioteca, que pertenceram a diversas personalidades brasileiras e baianas.

Fonte: SECOM

Biblioteca de Itaparica realiza exposição de autores baianos

A Biblioteca Juracy Magalhães Júnior, em Itaparica, promove durante este mês, uma exposição bibliográfica de escritores baianos para divulgar suas obras e atrair novos leitores. O objetivo é apresentar para os frequentadores, os autores contemporâneos da Bahia, com o intuito de incentivar a leitura de livros baianos. Os convidados de junho são José da Boa Morte, coordenador do Movimento Cultural Artpoesia, e Roberto Leal, presidente da Fundação e Selo Editorial Òmnira.

Trabalhando com literatura há quase 30 anos, o escritor Roberto Leal elogia a iniciativa. “É uma boa oportunidade para a divulgação da obra do escritor, o que o aproxima mais do público leitor, dentro das várias opções que a Fundação Pedro Calmon tem colocado à disposição dos autores baianos”.

O escritor José da Boa Morte também compartilha dessa ideia. “É importante para o autor ter seu trabalho exposto na biblioteca, porque dá visibilidade à sua produção e aproxima o autor dos leitores. Em se tratando de biblioteca pública, um espaço democrático de acesso à leitura, principalmente do autor baiano, proporciona o registro da memória e resgata a identidade cultural local”.

José da Boa Morte

Poeta, escritor, educador, nascido em Salvador, autor dos livros ‘Gotas de Inverno’ e ‘Amor e Risos sem Fronteiras’. Participante das antologias ‘Salvador 450 Anos de Poesias’ e ‘Ecos Castroalvinos’. É coordenador do Movimento Cultural Artpoesia, onde promove vários eventos culturais alternativos em Salvador e cidades da Bahia. Atualmente, desenvolve o Circuito de Arte e Literatura nas Escolas, além da edição da Revista Cultural Artpoesia – 93 edições de 1999 a 2011.

Roberto Leal

Editor da revista Òmnira, vice-coordenador da União Brasileira de Escritores/BA e presidente da Fundação Òmnira, autor de ‘Cárcere de Poemas’, Ed. Òmnira-BA/2000. É membro da IWA-International Writers Association/USA e curador do Encontro de Escritores Baianos Independentes (Enebi). Tem artigos publicados em jornais locais, revistas e periódicos no Brasil e exterior, é editor da revista de literatura e arte Òmnira, organizador de dezenas de coletâneas e antologias em poesia e conto. Publicou mais de 600 trabalhos entre poesias, contos, crônicas e artigos, ao longo dos seus 28 anos de atuação.

Fonte: SECOM