educação integral Archive

‘Mais Educação’ seleciona mais de 4 mil escolas públicas para tempo integral

Mais de 4.000 escolas públicas das redes estadual e municipais da Bahia foram selecionadas pelo Programa Mais Educação para implantar a educação em tempo integral. A meta do estado é atender as instituições de ensino com maior número de alunos oriundos de famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família (PBF). As unidades escolares que aderirem à iniciativa irão receber recursos federais para ampliar o ensino integral em suas estruturas curriculares.

O assunto foi discutido na quinta e sexta-feira (22 e 23), na Escola Parque, em Salvador, por representantes dos ministérios da Educação (MEC) e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e das secretarias estaduais da Educação e de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza, com coordenadores estaduais e municipais dos programas Bolsa Família e Mais Educação e representantes das Diretorias Regionais de Educação do Estado (Direc).

“As escolas baianas selecionadas têm que aderir ao Programa Mais Educação o mais rápido possível”, afirma o secretário estadual de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza, Carlos Brasileiro. Segundo ele, a iniciativa só irá trazer benefícios, “como tirar as crianças e jovens das ruas, afastá-los das drogas e proteger e abraçar os que ainda não foram cooptados pelo crime”.

Nova realidade

A coordenadora estadual do Bolsa Família, Luciana Santos, enfatiza que a parceria do programa com o Mais Educação garantirá a crianças e jovens em situação vulnerável o acesso à educação de qualidade em tempo integral, “dando espaço para eles conviverem com outras linguagens e novos aprendizados e desenvolverem novas habilidades”.

Para a superintendente de Educação Básica da Secretaria da Educação da Bahia, Amélia Maraux, o Mais Educação vai implementar uma nova realidade e uma nova metodologia de educação no estado e “resgatar uma dívida histórica que o país tem com os nossos cidadãos”.

Daniel Ximenes, diretor do Departamento de Condicionalidades do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, enfatiza que a educação em tempo integral, por meio do Mais Educação, dará oportunidade para que as crianças e jovens vivam e se identifiquem mais com a escola, porque “poderão descobrir novos talentos, terão a criatividade provocada e o capital de visão ampliado”.

Segundo ele, o Mais Educação está em parceria com o Bolsa Família para implantar a educação integral porque “não dá para trabalhar as políticas sociais sem dialogar com a educação e a saúde. Por isso, os gestores do Bolsa Família têm que ajudar na mobilização das escolas, para que, pelo menos, 70% delas participem do Mais Educação na Bahia”.

Para participar da seleção, é preciso que a unidade escolar urbana tenha maior número de alunos oriundos de famílias beneficiárias do Bolsa Família e que no total tenha mais de 150 estudantes; que a escola rural seja localizada nos territórios prioritários do plano Brasil sem Miséria; e unidades rurais situadas em municípios com índices de pobreza do campo.

Com informações da SEC

‘Mais Educação’ e ‘Bolsa Família’ se unem para ampliar educação integral na Bahia

Três mil escolas públicas das redes municipais e estadual da Bahia, com maior número de alunos oriundos de famílias beneficiárias do programa ‘Bolsa Família’, foram selecionadas para participar do programa ‘Mais Educação’. As escolas que aderirem à iniciativa receberão recursos federais para ampliar o ensino integral em suas estruturas curriculares.

Com o objetivo de fechar essa parceria e potencializá-la nos territórios, coordenadores estaduais e municipais dos dois programas e representantes das Diretorias Regionais de Educação do Estado (Direcs) estarão reunidos, a partir das 8h30, nestas quinta e sexta-feiras (22 e 23), na Escola Parque, no bairro da Caixa D’Água, em Salvador.

O encontro, promovido pelos Ministérios da Educação (MEC) e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), em parceria com as Secretarias de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes) e de Educação (SEC), busca fortalecer o ‘Mais Educação’ nas três mil escolas, através do compromisso público (termo de adesão) dos coordenadores municipais de educação e das Direc.

“Essa iniciativa vai contribuir para a melhoria da aprendizagem de crianças, adolescentes e jovens, principalmente os oriundos de famílias beneficiárias do Bolsa Família, assim como fomentar debates em torno de novas metodologias de trabalho, novos olhares aos currículos e à prática pedagógica”, afirmou a coordenadora estadual do ‘Bolsa Família’, Luciana Santos.

A diretora de Educação Básica da SEC, Ana Lúcia Gomes, enfatiza que a articulação do Mais Educação com o Bolsa Família “reafirma a importância da educação integral para garantir a permanência qualificada do estudante na escola em dois turnos, com direito à alimentação. Enriquece a escolarização com a oferta de oficinas de português e de matemática, atividades ligadas à arte, investigação científica, cultura e esporte”.

Dentre os critérios para seleção das unidades escolares para o ‘Mais Educação’ em 2012 estão: escolas urbanas com maior número de alunos oriundos de famílias beneficiadas e que tenham no total mais de 150 alunos, com base no ‘Educacenso’ 2010 e nos dados do ‘Bolsa Família’ outubro/novembro de 2010; escolas rurais localizadas nos territórios prioritários do plano Brasil sem Miséria; unidades rurais situadas em municípios com índices de pobreza do campo.

“Os alunos das instituições selecionadas terão sete horas diárias de atividades, de segunda a sexta-feira, mudanças que ampliarão tempos, espaços e oportunidades educativas”, acrescentou Luciana.

Com informações da SECOM