cidade-sede Archive

Arena Fonte Nova terá jogo do Brasil na Copa das Confederações 2013

A Fifa divulgou, nesta quarta-feira (30), em entrevista coletiva no Hotel Sheraton, no Rio de Janeiro, a tabela de jogos da Copa das Confederações 2013. A Arena Fonte Nova, em Salvador, vai receber três jogos, ente eles, o último da seleção brasileira na fase de classificação, no dia 22 de junho, partida que pode definir a participação do Brasil nas finais. Além desse jogo, a Arena Fonte Nova receberá mais um da fase de classificação, no dia 20 de junho, e a disputa do terceiro lugar, no dia 30 de junho.

O governador Jaques Wagner, o secretário de Comunicação, Robinson Almeida e o secretário para Assuntos da Copa, Ney Campello, participaram do evento, que foi comandado pelo secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, o ex-jogador Bebeto, membro do Conselho do Comitê Organizador Local, e pelo ministro dos Esportes, Aldo Rebelo.

Para o governador, “Salvador teve o reconhecimento da Fifa pela história, primeira capital do Brasil, pela nossa tradição com grandes eventos e pelo esforço que fizemos para acelerar a construção da Arena Fonte Nova. Tenho certeza que vamos fazer uma grande Copa das Confederações e dar sorte para o Brasil chegar mais uma vez às finais”.

O secretário de Comunicação destacou que o anúncio desta quarta-feira reafirma a participação da Bahia na Copa das Confederações e, além disso, a proximidade do jogo do Brasil em Salvador com o São João é uma oportunidade para promover a festa. “A partida vai atrair aqueles que gostam de futebol e nós vamos bolar uma estratégia de ligar o futebol ao forró e promover ainda mais o turismo baiano”.

Quinze seleções

Somando os dias de jogos da Copa das Confederações e da Copa do Mundo, a Arena Fonte Nova terá 45 dias de jogos. Ao todo serão nove partidas, que podem trazer à Bahia 15 seleções diferentes a depender das combinações e resultados. Segundo o secretário para Assuntos da Copa, isso garante um grande fluxo de turistas e um ganho para a economia.

Além de Salvador, a Copa das Confederações terá partidas em Brasília, onde será feita a abertura, no Rio de Janeiro, onde acontece a final, em Recife, Fortaleza e Belo Horizonte. A competição reúne as seleções campeãs continentais, mais o Brasil, país-sede, e a Espanha, última campeã mundial. Já estão classificadas as seleções do Japão, campeã asiática, México, campeã da América do Norte, e Uruguai, campeã da América do Sul. Faltam as campeãs da África, Europa e Oceania.

Obras

Durante a coletiva de imprensa, o secretário-geral da Fifa foi questionado sobre um possível atraso nas obras ligadas à Copa do Mundo 2014. Valcke deixou claro que o importante para a competição são os estádios e que as demais intervenções, caso não fiquem prontas a tempo, não comprometeriam a realização do Mundial.

“Essas obras são importantes para o Brasil, mas não são as de maior importância para o mundial. Eu inclusive já tratei disto com o governo brasileiro e deixei claro que não há preocupação a esse respeito”. Valcke também explicou que a partir de agora os relatórios de avaliação das obras serão divulgados em conjunto pelo COL e pela Fifa, para evitar o choque de informações.

Com informações da SECOM

Salvador é habilitada pela Fifa a receber a Copa das Confederações

O governador Jaques Wagner concedeu entrevista à imprensa para anunciar a decisão da Fifa sobre a Copa das Confederações.

O site da Fifa confirmou a informação de que Salvador está habilitada a sediar a Copa das Confederações. A notícia, às vésperas do 62º congresso da organização, que será realizado nos dias 24 e 25 deste mês, em Budapeste, na Hungria, foi recebida por telefone, na manhã desta terça-feira (22), pelo governador Jaques Wagner, que concedeu entrevista coletiva para divulgar a decisão.

Wagner disse que a decisão da Fifa indica seis cidades. “Destas, duas estão na frente, Salvador e Fortaleza. Somando-se o anúncio feito em Budapeste e os dois sinais verdes dados à Bahia, não tenho dúvidas de que a inclusão de Salvador está garantida na competição”. Para o governador, a possibilidade de se fazer a Copa das Confederações com quatro ou cinco sedes diz respeito à possibilidade de outras quatro cidades, exceto Salvador e Fortaleza, não concluírem as obras nos estádios.

Segundo ele, o cronograma baiano está consolidado e o relatório da Fifa coloca Salvador em segundo lugar. “Vou trabalhar para estarmos, até o final do ano, em primeiro lugar na avaliação da entidade, mas eu não tenho dúvida que Salvador sediará também a Copa das Confederações, além da Copa 2014”.

Sorteio das chaves

Jaques Wagner também afirmou que a Bahia vem batalhando para sediar o sorteio das chaves da Copa do Mundo. “A abertura será em São Paulo, o encerramento no Rio de Janeiro. Não é possível que a gente não tenha nenhum grande evento, fora os jogos, no eixo sul-sudeste. Estou trabalhando para trazer, em novembro de 2013, o sorteio, que é considerado o terceiro evento em importância, depois da abertura e da final”. Segundo ainda o governador, a negociação é boa. “Oferecemos três espaços – o Centro de Convenções, o Parque de Exposições e o complexo Costa do Sauípe, que, por sua infraestrutura e ter capacidade de concentrar tudo, foi o mais bem recebido pela organização”.

Mobilidade

Sobre a mobilidade urbana, o governador disse que são obras fundamentais. “A Copa tem que deixar um legado para a cidade, além da própria Fonte Nova. Em julho a gente quer colocar a licitação da mobilidade na rua”. Para Wagner, é possível começar as obras em setembro. “Mesmo que não estejam prontas, isso não traz nenhuma dificuldade nem para nós, nem para a Fifa, de trazer as copas 2014 e das Confederações”.

Quanto às obras de acesso no entorno da Fonte Nova, Wagner assegurou que estarão completas já para a competição no próximo ano. “Tudo o que disser respeito à mobilidade de chegada e saída do estádio será entregue até a Copa das Confederações 2013”.

Hotelaria

O governador também destacou o assunto hotelaria. “Estamos estimulando a iniciativa privada a tomar o dinheiro oferecido pelos bancos públicos e chamando outros investidores para projetos novos como é do Hilton, ao lado do Mercado Modelo, o do Fasano, na antiga sede do Jornal A Tarde, o do antigo Salvador Praia Hotel, que está aguardando a autorização da Câmara dos Vereadores e da prefeitura”.

Sobre o aeroporto internacional de Salvador ele disse que o equipamento comporta “os turistas que vão chegar”. No entanto, está sendo ultimado um novo posicionamento da segunda pista, “o que vai viabilizar a ampliação da capacidade dos atuais oito milhões para 30 milhões de passageiros por ano, o que nos deixa confortáveis porque Salvador hoje recebe bem menos do que isso”.

Com informações da SECOM