Obras da Arena Fonte Nova estão entre as duas mais adiantadas do Brasil

Os andamentos das obras dos estádios de Salvador, com mais de 60% concluídas, e de Fortaleza são os melhores entre as construções realizadas nas 12 capitais-sede dos jogos da Copa de 2014. A informação do relatório da Fifa, que já havia sido divulgada pela imprensa, credencia a capital baiana a sediar a Copa das Confederações 2013 e foi confirmada nesta terça-feira (15), durante a visita do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e do governador Jaques Wagner à Arena Fonte Nova.

Wagner afirmou que a Arena Fonte Nova será o primeiro estádio brasileiro em construção ou reforma a ter a cobertura pronta e a finalizar a instalação da arquibancada. “O último relatório da Fifa aponta que Salvador e Fortaleza são as duas únicas capitais brasileiras com estádios que receberam dois ‘sinais verdes’ da entidade – um para a Copa do Mundo, outro para a Copa das Confederações”.

O governador também defendeu que a Bahia sedie o sorteio dos jogos da Copa. “A abertura será em São Paulo, a final no Rio de Janeiro. Eu trabalho para que os principais eventos relacionados ao campeonato não sejam concentrados apenas no eixo Rio/São Paulo. A Bahia tem todas as condições para receber as comissões, os turistas, e fazer um belo espetáculo para a realização desse sorteio”.

Rebelo elogiou o andamento da construção da Arena Fonte Nova. “A Bahia está cumprindo todos os requisitos, as obras têm marchado de acordo com o cronograma previsto. Não há porque ter qualquer receio em relação à possibilidade de Salvador acolher a Copa das Confederações”.

O ministro disse que a Copa do Mundo é uma grande oportunidade para o desenvolvimento, no Brasil, de diversos segmentos, como a engenharia, as telecomunicações, o turismo, a economia e a medicina esportiva.

Estrutura

Com caráter multiuso, a arena ficará pronta em dezembro deste ano. O projeto arquitetônico preserva o formato de ferradura, com abertura para o Dique do Tororó. Com um padrão de excelência mundial, após a entrega, a Fonte Nova será palco de eventos relacionados ao futebol e também a shows de grande porte, congressos e encontros de negócios. Mais do que ser palco dos jogos da Copa de 2014, a nova arena dotará Salvador de uma estrutura de nível internacional.

Ela terá capacidade para 50 mil espectadores em três níveis de arquibancada com assentos cobertos, 90 camarotes, 2.500 assentos VIP, restaurante panorâmico com vista para o estádio e para o Dique do Tororó e cerca de duas mil vagas de estacionamento. Sua estrutura abrigará ainda sala de imprensa, quiosques, elevadores, sanitários, museu e business lounge, que funcionarão independentemente dos jogos.

Contratação de trabalhadores ultrapassa expectativa

“A Copa do Mundo já gerou 300 mil empregos no Brasil e, durante o evento, em 2014, serão gerados outros 300 mil postos de trabalho”, afirmou Rebelo. Somente nas obras da Arena Fonte Nova, estão trabalhando 3.100 empregados, parte deles beneficiada pelos programas de capacitação do governo da Bahia.

“Estamos com um grau de ocupação acima da expectativa inicial. Esperávamos ter até 2.700 trabalhadores, mas chegamos ao número extraordinário de 3.100 empregados diretos”, explicou o secretário do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, Nilton Vasconcelos. “E temos ainda aqueles que estão sendo contratados em outras unidades, produzindo pré-moldados, no transporte, em toda uma cadeia produtiva que se forma, aumentando ainda mais esse número”.

Qualificação

Entre os empregados diretamente nas obras da Arena Fonte Nova estão ex-moradores de rua, egressos do sistema prisional e pessoas que conseguiram o primeiro emprego, principalmente mulheres. Para a qualificação desses trabalhadores, o governo da Bahia oferece, entre outros, o programa Qualifica, executado pela Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), em parceria com a Fonte Nova Negócios e Participações e com o Movimento Nacional de Moradores em Situação de Rua.

Segundo Vasconcelos, este ano, das 24 mil vagas em cursos de qualificação, inclusive no interior, 40% são na área de construção civil. “Quando essas obras forem concluídas, os trabalhadores poderão continuar seu ofício nas obras do metrô, de viadutos que serão construídos, entre diversas outras possibilidades”.

Com informações da SECOM

Print Friendly

About the Author

Assessoria de Comunicação da Ouvidoria Geral. Siga-nos no Twitter: @ouvidoriageral e curta a nossa Fan Page no Facebook - http://www.facebook.com/ouvidoriageraldabahia